Festival de Cinema da Madeira 2015: Em Digressão por New Bedford

Quarta-feira, 29 de Julho

6:00 p.m. Receção

7:30 p.m. Apresentação

poster for traveling film festival

O Festival de Cinema da Madeira, em colaboração com o Conselho de Liderança Luso-Americano dos Estados Unidos (PALCUS), apresentou uma noite de filmes portugueses no Museu da Baleia de New Bedford. Este foi um evento gratuito e foi patrocinado em parte pelo Vinho da Madeira, a bebida oficial do Festival de Cinema da Madeira, que é o vinho que os pais fundadores beberam ao brindar a independência dos Estados Unidos e, mais recentemente, o vinho que o Secretário John Kerry usou para brindar ao acordo iraniano.

 

Sobre os Filmes e Diretores

Cólera. Um Conto de Fadas de Atlântida

Esta curta-metragem dirigida por Tristan Barnard e Aiken Pearson abrirá a mostra de filmes. Foi filmada inteiramente na ilha de São Miguel nos Açores, Portugal. O filme combina aspectos das fábulas históricas da ilha e contribuições de figuras-chave da comunidade de São Miguel. De acordo com a lenda açoriana, um rei e uma rainha, que reinaram sobre um próspero e florescente reino conhecido como Atlântida, poderiam ter filhos. No entanto, um dia, o rei teve uma visão indicando que a sua esposa daria à luz uma menina virtuosa e bela, sob a estrita condição de não poderem ver a sua filha antes de esta completar 20 anos, caso contrário algo terrível aconteceria. O rei concordou e, como prometido, a menina foi confinada aos limites da Vila conhecida, como Sete Cidades. Os acontecimentos da história são retratados através de uma voz literal contando o conto de fadas, aumentado com belas filmagens retratando o esplendor e a natureza dos Açores, nomeadamente São Miguel.

 

Uma Rapariga Ideal The Ideal Girl

Maria Amélia e Maria Natália passaram pela “Mocidade Portuguesa” de Salazar, instituição criada durante a ditadura em Portugal para desenvolver um certo ideal de mulher e família. Mas, este período, também promoveu experiências e atividades incomuns para esse tempo, especialmente para as meninas. Pelos testemunhos inconsistentes destas duas senhoras, vemos um retrato da juventude de Lisboa nos anos 30 e 40 e também, o olhar emocional de um neto para as suas avós.