Seguindo o Panther: Fotografias do Ártico de Rena Bass Forman*

 

Datas de Exibição: 26 de Abril – 3 de Setembro de 2013

A artista e fotógrafa Rena Bass Forman viajou extensivamente em busca de paisagens e luzes transformacionais. Esta exposição incluiu uma seleção de fotografias tiradas na sua viagem em 2006, para a costa oeste da Groenlândia.

Os seus interesses levaram-na ao Museu da Baleia em 2010 para estudar o livro de William Bradford “Regiões do Ártico”. Este volume, publicado em 1873, encontra-se em exibição como um objeto central em “Visões do Ártico: Away then Floats the Ice-Island“. O trabalho de Rena foi influenciado por ele e pela sensibilidade da Escola Hudson do Século XIX.

A expedição que Bradford, em 1869, conduziu às regiões árticas foi bem sucedida, em parte, devido a John L. Dunmore e George Critcherson, dois fotógrafos profissionais contratados do estúdio J. W. Black em Boston. Em colaboração com Bradford, estes capturaram as regiões polares em toda a sua grandeza. Bradford usou estas fotografias como inspiração para o seu trabalho artístico, como um auxílio às composições e, mais tarde, para as suas palestras.

Groenlândia, Ilulissat, 38″ x 38″, 2009

 

Antes de sua morte súbita em 2011, Rena desenvolveu um plano para retraçar a viagem de Bradford em 1869, querendo inspirar-se pela mesma paisagem que maravilhou aqueles a bordo do Panther e até mesmo fotografar algumas das mesmas visões tomadas por Dunmore e Critcherson. Tragicamente, não conseguiu concretizar o seu projeto. Numa última homenagem, a família e amigos de Rena concretizaram o seu sonho como a viagem “Perseguindo a Luz” a bordo do Wanderbird, um arrastão de expedição, a partir de Belfast Maine.

A criatividade e a produtividade de Rena foram suportadas pelos membros da sua família que atuaram como assistentes e companheiros de viagem. Os seus esforços de apoio são mantidos dentro desses quadros também. Juntos, enfrentaram os desafios e os perigos ocasionais de fotografar lugares remotos e isolados. Frequentemente, os resultados eram imagens de uma natureza intemporal que capturam, por um momento, a extraordinária luminosidade da cena.

Todas as fotografias de Rena Bass Forman foram impressas sob seu olhar atento. As impressões a preto e branco, gelatina e prata, foram tonificadas, arquivadas e montadas, tendo sido impressas em edições limitadas de sete.

O trabalho em exposição foi generosamente emprestado por Winston Wachter Fine Art, New York e Seattle.

 

*Zaria Forman, uma das filhas de Rena, acompanhada por Lisa Lebofsky, ambas participaram como artistas residentes no Museu durante o primeiro mês de abertura da exposição.  Esboçaram e pintaram baseadas na viagem ‘Perseguindo a Luz’.  Os visitantes puderam observá-las a trabalhar e conversar com elas.