Baleias Hoje: Ameaças à Sobrevivência e Esforços de Conservação

 

Instituição Oceanográfica de Woods Hole (WHOI)

Cientistas da WHOI têm conduzido pesquisas sobre mamíferos marinhos durante décadas, desde a realização das primeiras gravações submarinas de sons de mamíferos marinhos na década de 1940, até ao desenvolvimento de métodos de monitorização digital e métodos que recorrem à tecnologia da tomografia computorizada. O Centro de Mamíferos Marinhos do WHOI (MMC), promove pesquisas sobre baleias, golfinhos e focas, incluindo o seu comportamento, saúde, anatomia e percepção; métodos para libertar baleias emaranhadas em redes de pesca e as causas dos encalhes; e a ligação das populações de mamíferos marinhos às condições do oceano e à abundância de plâncton.

A   Whale and Dolphin Conservation (WDC)

Leia sobre a WDC, a instituição mais ativa do mundo dedicada à conservação e bem-estar de todas as baleias e cetáceos.

Aliança Oceânica

A Aliança Oceânica recolhe um amplo espectro de dados sobre baleias e vida oceânica relacionados, particularmente, com toxicologia, comportamento, bioacústica e genética. A partir desses dados, trabalhamos com os nossos parceiros científicos para aconselhar educadores e políticos sobre uma gestão sábia dos oceanos para: reduzir a poluição, evitar o colapso das populações de mamíferos marinhos, manter o acesso humano aos peixes e outras espécies marinhas e promover a saúde oceânica e humana.

Conservação da Vida Selvagem

Explorar a monitorização por satélite das Baleias da Groenlândia no Ártico e o importante projeto associado a essas baleias gerido pelo Departamento de Pesca e Divisão de Conservação de Vida Selvagem do Alaska.

O Ocean Today (NOAA)

Explore o Ocean Today, onde pode ler sobre notícias oceânicas de todo o mundo, a vida do oceano, ciências e tecnologia que está a ser desenvolvida e usada para nos ajudar a entender os lugares mais inexplorados da Terra e descobertas que estão a ser feitas todos os dias.

Sons no Oceano–Impactos Mortais

Todos os cetáceos usam som para comunicarem com outros membros de sua espécie. Os seus sons podem viajar grandes distâncias, às vezes centenas de quilómetros. Odontocetes (baleias dentadas, golfinhos, botos) também usam som, na forma de ecolocalização para caçar e navegar. A sua estrutura auditiva é muito mais sensível aos sons no oceano, especialmente aqueles de frequências mais baixas.

Infelizmente, os oceanos tornaram-se num ambiente muito barulhento ao longo dos últimos 50 anos, devido ao aumento do transportes marítimos, sonar e exploração de petróleo através de pistolas de ar de alta intensidade. No mínimo, esses sons mascaram a comunicação entre animais. Na pior das hipóteses, são mortais, levando ao encalhe de baleias em massa, golfinhos e botos. O Conselho de Defesa de Recursos Naturais (NRDC) criou um vídeo que resume essas questões, com o uso de animações, filmagens, fotografias e narrativas informativas.

NRDC Film – Sons Mortais: Sonar Mortal Prejudica Baleias

A Ciência de Sons no Oceano

Muitos organismos marinhos criam sons para obter a sua mensagem ou encontrar comida. Capturando camarão, corvinas e focas barbadas, criam ruídos únicos que serão reconhecidos por outros membros de sua espécie. A biologia e a física que compõem a criação e a transmissão deste som são fascinantes. A ciência deste processo é explicada em profundidade através da Descoberta de Sons no Mar (DOSITS). Existem muitos clipes de áudio de sons de animais e alguns dos ruídos antropogénicos (feitos pelo homem) também.

O Instituto de Ecologia Acústica

O Instituto de Ecologia Acústica trabalha para aumentar a consciência pessoal e social do nosso ambiente de sons, através de programas de educação em escolas, eventos regionais, e o nosso site internacionalmente reconhecido, AcousticEcology.org, uma fonte informativa abrangente para informações sobre questões ambientais relacionadas com o som e pesquisa científica.

 

Joshua Horwitz – Palestra A Guerra das Baleias

Nesta animada palestra acompanhada de imagens, vídeos e clipes de áudio, o autor Joshua Horwitz desfez a relação conflituosa, mas sempre apaixonada, entre os maiores predadores na terra e no mar.

E respondeu à questão: Porque é que – numa época em que os próprios humanos lutam para se adaptar ao seu próprio ambiente – proteger as baleias e os seus habitats ainda é importante?

Vídeo produzido por Eric R. Anderson, de Gigs-to-Go Music Videos.